Novos quatro nomes no line-up deste dia são confirmados: Megan Thee Stallion e Rita Ora se apresentam no Palco Mundo. No Sunset, acontece um show em homenagem a Elza Soares com a presença de grandes nomes da música brasileira, além de uma apresentação de Liniker com participação de Luedji Luna

Se desde a sua primeira edição, em 1985, o Rock in Rio conta com apresentações históricas comandadas por mulheres, 2022 não será diferente. Na mesma data em que é celebrado o Dia Internacional da Mulher, o maior festival de música e entretenimento do mundo comemora esta data tão importante, símbolo das lutas e conquistas das mulheres, e aproveita para anunciar o Dia Delas, dedicado a celebrar a potência feminina na história da música. O conteúdo não estará restrito a um único espaço e a programação, contando com toda a representatividade do feminino, que abraçará seus principais palcos: Mundo, Sunset, New Dance Order e Espaço Favela.

Neste Dia Internacional da Mulher, a organização do Rock in Rio apresenta também mais 11 artistas que assumem o universo feminino no line-up e deixa a data ainda mais potente. Megan Thee Stallion e Rita Ora, são as novidades no Palco Mundo e farão suas estreias no festival e no Brasil. No Palco Sunset, local dos grandes encontros da Cidade do Rock, recebe um show memorável e que, sem sombra de dúvidas, terá a emoção como ponto alto: “Power! Elza Vive”, show em homenagem a Elza Soares com a participação de Alcione, Majur, Agnes Nunes, Caio Prado, Mart’nália, Gaby Amarantos e Larissa Luz. Abrindo o dia, o Sunset recebe as empoderadas Liniker e Luedji Luna, que juntas prometem uma apresentação de tirar o fôlego. 

“As mulheres sempre estiveram presentes nos momentos marcantes da história do festival e o line-up do dia 11 de setembro é uma consequência natural disso, uma homenagem a todas que passaram pelos nossos palcos. Ter um dia inteiro Delas é uma forma de reforçar e celebrar toda a potência, diversidade e inspiração que as mulheres representam na música. Como um festival que tem como meta ser 100% acessível, inclusivo e plural, um dia inteiramente feminino está completamente alinhado ao nosso propósito de construir um mundo melhor”, comenta Roberta Medina, VP Executiva do Rock in Rio, que complementa “o festival é construído por maioria feminina nos bastidores e 65% dos cargos de liderança na empresa são ocupados por mulheres. Definitivamente isso é um diferencial na indústria da música”. De todo o quadro de funcionários do Rock in Rio Brasil, 63% é composto por mulheres e Roberta Medina, como vice-presidente executiva, lidera o Rock in Rio Lisboa, além de projetos como Por Um Mundo Melhor, braço responsável por todas as ações socioambientais que ocorrem no Rock in Rio há 21 anos.

Como ficam os palcos neste dia 11 de setembro

O Dia Delas terá um line up com atrações nacionais e internacionais que conversam entre si e garantem um intercâmbio de conversas nos palcos e fora deles. No Palco Mundo, pela primeira vez no festival, a internacional Dua Lipa encerra a noite do último dia do Rock in Rio. Um dos nomes mais pedidos pelo público, a cantora britânica lançou em 2020 o álbum de sucesso “Future Nostalgia”. Bastante reverenciado pela crítica especializada e pelo público, o trabalho lhe rendeu o Grammy na categoria “Melhor Álbum Pop”, além de contar com o hit mundial “Don’t Start Now”, que ultrapassou 1 bilhão de streams no Spotify e alcançou a segunda posição no Billboard Hot 100.

Fazendo sua estreia no Brasil, a rapper e compositora norte-americana, Megan Thee Stallion é a voz por trás do hit “Savage”, que viralizou na plataforma de vídeos curtos TikTok. A música alcançou o primeiro lugar no chart da Billboard Hot 100 dos EUA após o lançamento de um remix que teve a participação de Beyoncé. O sucesso lhe rendeu seis nomeações ao Grammy de 2021, onde foi o destaque da premiação vencendo em três categorias: Artista Revelação, Melhor Performance de Rap e Melhor Canção Rap — estas duas últimas premiações lhe deixaram marcada na história do evento como a primeira mulher vencedora nessas categorias. Em alta na cena rapper atual, entre 2020 e 2021, Megan faturou estatuetas importantes como do American Music Awards, BET Awards, Billboard Music Awards e MTV Video Music Awards. A cantora, que já garantiu um número expressivo de mais de 27 milhões de seguidores no Instagram, sobe ao Palco Mundo com os seus hits “Savage”, “WAP”, “Hot Girl Summer”, “Body”, entre diversos outros.

Outro destaque da música internacional, a cantora pop Rita Ora também fará na Cidade do Rock o seu primeiro show em terras brasileiras. Seu álbum de estreia, intitulado “Ora”, lançado em 2012, no Reino Unido, fez grande sucesso entre o público. O disco lhe rendeu na primeira posição da UK Albums Chart, já com dois singles de peso: “R.I.P.” e “How We Do (Party)”, além de tornar Rita a artista com o maior número de músicas no1 no ranking daquele ano. No Rock in Rio, a cantora vai empolgar e emocionar os seus fãs com seu recém lançado single “Follow Me” e os seus sucessos “Let You Love Me”, “Ritual”, “Poison”, “R.I.P.” e “How We Do (Party)”. Apenas no Instagram, Rita soma mais de 16 milhões de seguidores ávidos por suas canções.

E o que falar do furacão Ivete Sangalo? A cantora multifacetada é a cara do Rock in Rio no Brasil e fora. É a única artista brasileira a se apresentar em todas as edições do festival desde 2001 e vai agitar o público para mais uma noite inesquecível. Com seus novos hits “Tá Solteira, Mas Não Tá Sozinha”, “Não pode Parar”, “O Mundo Vai”, “Dura na Queda”, além dos consagrados “Sorte Grande”, “Acelera Aê”, “Flor do Reggae”, “Abalou”, a cantora baiana fará um show repleto de muita música, dança e diversão.

E mulheres poderosas não faltarão no Palco Sunset, veja só: Ludmilla será a primeira headliner brasileira nos 10 anos de história do palco. A cantora carregará ainda toda a simbologia de uma mulher negra, de periferia, que começou no funk, ao ocupar esta posição. Ela vai agitar o público com os seus sucessos “Rainha da Favela”, “Deixa de Onda”, “Invocada”, “Verdinha” e “Hoje”.

Já Macy Gray, considerada um dos principais nomes da música soul e ganhadora do Grammy Awards de Melhor Performance Vocal Pop Feminina, se apresenta pela primeira vez no Rock in Rio. Ela será co-headliner de Ludmilla, também nesta data.

E para os que esperam nostalgia, emoção e homenagem, nada mais apropriado que um show dedicado a rainha da black music, a dona de uma voz inigualável e incomparável: Elza Soares. Ela, que esteve em um trono neste mesmo palco na edição de 2019 e já se preparava para a edição de 2022 (como atração que seria confirmada), será reverenciada e cantada por Alcione, Majur, Agnes Nunes, Mart’nália, Gaby Amarantos, Larissa Luz e Caio Prado, que, neste contexto, participa do show relembrando o musical “Elza”, do qual fez uma entrada especial. Um “gay efeminado”, como ele próprio se define, de quem Elza era muito fã e que potencializa, endeusa o feminino e se entende como “uma das sete Elzas”.

Responsável por abrir o Palco Sunset neste dia, Liniker vai agitar o público com suas músicas quemisturam elementos da black music e soul com uma linguagem contemporânea brasileira, somados a letras que descrevem as relações e o amor. Para este show, a artista paulista convidou a cantora e compositora Luedji Luna para se juntar a ela. Juntas, elas vão entregar uma performance carregada de representatividade e empoderamento, com hits que vão emocionar e arrepiar a plateia.

Os palcos New Dance Order e Espaço Favela terão seus lineups revelados em breve. Entretanto, a organização já adianta que ele será composto por mulheres.

As mulheres no Rock in Rio – uma história real e passada por gerações

Artistas internacionais e nacionais fizeram história nos palcos do festival, tornando-se protagonistas de muitos momentos. É impossível pensar em Rock in Rio e não lembrar dos shows memoráveis em que elas foram os destaques. A começar por 1985 com Nina Hagen, além das nacionais Baby do Brasil, Elba Ramalho, Paula Toller (pelo Kid Abelha e os Abóboras Selvagens) e Rita Lee, seguido por 1991, com Debbie Gibson, Lisa Stanfield, Deee-Lite, entre outros.

Mais recentemente, após os anos 2000, entre as cantoras de fora do Brasil tivemos Beyoncé fazendo passinho para milhares de espectadores; o voo de P!NK sobre o público da Cidade do Rock; Britney Spears fazendo sua primeira apresentação em terras brasileiras; Katy Perry e suas mágicas trocas de roupa no palco; Rihanna em um couro emocionante e balançando a bandeira do Brasil; Shakira caindo nas graças do público; o duo de DJs Nervo, que foram as primeiras headliners mulheres do New Dance Order; Alicia Keys chamando ao palco o grupo brasileiro de funk Dream Team do Passinho; entre outras apresentações icônicas de Joss Stone, Fergie, Jessie J, Florence Welch e muitas outras.

Dentre as brasileiras, também não faltam apresentações emocionantes e icônicas: Baby do Brasil subindo ao palco grávida, esperando o filho Pedro Baby; Ivete Sangalo, a artista brasileira que mais subiu aos palcos do Rock in Rio e se transformou numa embaixadora do festival no Brasil e em Portugal, desde 2011; Anitta levando o funk para o Palco Mundo; o power trio de trash metal Nervosa em uma abertura histórica do Dia do Metal no Palco Sunset; Elza Soares, aos 89 anos e em seu tradicional trono, com uma apresentação arrebatadora; Linn da Quebrada com um show empoderado que fez todo o público sair do chão; Iza convidando Alcione e a pequena Luara para dançar com ela no palco; Malía e MC Carol como algumas dos maiores destaques da primeira edição do Espaço Favela; Cássia Eller levando o público ao delírio ao erguer sua camisa; Liniker em um show repleto de representatividade; Dona Onete em seu trono de palha no Pará Pop, encontro de gerações e estilos musicais do Pará; Elba Ramalho presente em cinco edições do festival; entre diversos outros destaques como Gaby Amarantos, Claudia Leitte, Pitty, AnaVitória, Daniela Mercury, e outras.

O Rock in Rio Lisboa também contou com um dia exclusivo de mulheres no Palco Mundo, e encerrou sua 8a edição, em 2018, com Katy Perry, Jessie J, Ivete Sangalo e Hailee Steinfeld. Em um dia marcado pelo poder feminino (#FemalePower), Katy Perry deslumbrou a cidade do Rock lusitana com um espetáculo animado e recheado de cor; Jessie J transformou seu show em um grande concerto musical e explorou toda a sua capacidade vocal e Ivete Sangalo duetou com a baiana Daniela Mercury ao interpretar o clássico “Canto da Cidade”, abalando as estruturas do festival. Na abertura do palco, a atriz e cantora Hailee Steinfeld demonstrou estar à vontade com o grande público, que entoou seus hits “Capital Letters”, “Most Girls” e “Starving”.